O *Quero Aprender a costurar*, abriu uma discussão sobre os usos dos tecidos com algumas blogueiras e amigas da comunidade do Como Faz no Flickr.

A Rachel Matos, consultora de moda com bastante experiência em lingerie, já deu suas dicas falando de tecidos para lingerie. A Carol Grilo, da FofysFactory, falou sobre tecidos para necessaires e carteiras, forros e afins. Emy Kuramoto, do Tofu Studio - Design Independente contou a história dela com a costura e com seus paninhos prediletos para bolsas e acessórios.

Hoje você vai conhecer um pouco mais sobre a Ana Matusita, do Ana Sinhana.

A minha paixão por tecidos é muito antiga e veio bem antes de qualquer habilidade mínima com a costura. Como eu cresci vendo minha avó costurar, parte do trabalho era ir "comprar fazenda", como ela costumava dizer. E fui pegando gosto pelas cores, pelas diferenças de textura, pelos padrões.

products-300-185-d6d5ef265db6500274a33fe6ca79dcef

Muitas vezes, comprei tecidos e mandei fazer roupas, que nem sempre ficavam do jeitinho que eu queria. Em parte por conta da habilidade das costureiras mas, em grande medida, por causa do material usadao, já que o caimento depende do tipo de tecido. E isso a gente só aprende com o tempo. Por exemplo: uma saia rodada, do tipo godê, fica melhor feita com tecidos leves, menos encorpados; já calças justas de tecido fino marcam muito e não ficam elegantes.

Do mesmo jeito, os acessórios pra uso pessoal e para a casa pedem por texturas apropriadas. Adoro trabalhar com o algodão, que é fácil de costurar, não deforma facilmente e é resistente, perfeito para patchwork, pois combina bem a maciez e resistência na hora de montar camadas aplicadas ou unidas.

185-403f74b2b1c86c85de4dd9944d884b4b

As toalhas de uso diário pedem tecidos mais grossos e encorpados, já que estão expostas às sujeirinhas e manchas do dia-a-dia e precisam ser levadas frequência. Gosto dos algodões mais encorpados e de largura maior que a tricoline já que, muitas vezes, aparecem grandes mesas para serem cobertas. Porém, nada impede de se usar aquele algodão lindo estampado, desde que a lavagem seja cuidadosa, um ponto importante para preservar o tecido. E, claro, a versatilidade do algodão é muito bem aproveitada em outras peças que levem forro de manta acrílica e verso/ lado interno de outro tecido. Acho legal usar tecidos de boa qualidade também na parte interna e nos avessos, porque faz parte do bom acabamento da produto e usar um tecido inferior compromete a beleza final.

185-454458f209e80c29425f065bb8c3adb2

Para a parte de trás das almofadas de patchwork, por exemplo, gosto de usar sarja de espessura média, lisa e em cores que combinem com a peça. É mais encorpada e confere estrutura, sem ter o toque seco de tecidos muito grossos. Quase nunca utilizo tecidos sintéticos, um pouco pela sensação ao toque (algodão é tão mais macio!) e também pelo estranhamento que me causa usar dois tecidos que causam sensações tão diferentes juntos. Mas já combinei, por exemplo, algodão e seda pura num patchwork e achei que ficou lindo.

Na verdade, acredito que apesar de algumas regrinhas básicas na hora da escolha do tecido para cada criação, vale muito o bom senso que deve levar em conta: uso final do produto, tipo de lavagem (que deve ser indicada na etiqueta da peça) e, claro, a criatividade na hora de pensar a melhor combinação possível do material.

Ana Matusita

"Comprar fazenda", gente, isso é MUITO vovózinha, né? :) Amei... Deu muita saudade da minha. E adorei a dica de combinar algodão e seda pura em patchwork.

Se você não acompanhou a série sobre tecidos, no primeiro post o assunto foi construção, que é o processo usado para fazer tecido. Na segunda semana falamos sobre composição: do que o tecido é feito.

Fique de olho que ainda tem novidade essa semana!